Num vídeo publicado em sua pagina no facebook, o Governador do Estado do Maranhão, Flavio Dino (Partido Comunista do Brasil - PCdoB), falou sobre os medicamentos que serão providos pelo Estado no combate ao Coronavirus, o estado que tem sofrido com grandes números de perdas em meio a pandemia alcançando o 7º lugar em mortes  atrás apenas de São Paulo (695), Rio de Janeiro (224), Pernambuco (115), Ceará (107), Amazonas (90) e Paraná (36)*.


Acusado pelos opositores, que reclamam da conduta adotada pelo governo que só liberou o uso da cloroquina após alarmante crescimento dos óbitos, Flavio Dino disse que "insistem com esquisita “polêmica” sobre cloroquina no Maranhão", e que "não sou eu que prescrevo remédios, já que não tenho a honra de ser médico. Os médicos prescrevem. O resto é politicagem, desconhecimento ou má fé.". Politicagem essa que a oposição acusa Flavio Dino, devido as inúmeras "Picuinhas" do Governado contra o presidente. Segundo denuncia feita pelo Senador Robeto Rocha (PSDB/MA), em varias postagens nas suas redes sociais, entre as denuncias se vê medicamentos vencidos nos Kits contra o covid. 


Ele dispara ainda noutra postagem:
 "Com as mãos sujas de sangue, o governador do Maranhão, Flávio Dino, como um verdadeiro comunista, não demonstra nenhum remorso pelas mortes de centenas de maranhenses.
Ao invés de cuidar dos seus conterrâneos, preferiu gastar o dinheiro federal do Coronavírus com propaganda para se promover nacionalmente. Proibiu, inclusive, o uso da Cloraquina por questão meramente ideológica."

Ainda no vídeo postado pelo Governador do Maranhão ele diz que "... não tenho a formação médica, ... não sou eu que prescrevo", e finalizou dizendo "... mais garanto a vocês que estão assegurados os medicamentos", medicamentos esses que para Flavio Dino parece não ter utilidade, pois segundo ele "os médicos dizem que podem ser eficazes no enfrentamento do coronavírus". Colocando em duvida a decisão médica sobre o assunto. A mudança na decisão seria uma tentativa por parte do governo em sair da culpa da mortes no Maranhão, ou enfim o reconhecimento de que alguma atitude deveria já ter sido tomada a muito tempo.



Matéria: A.Junior