O Pastor Gildenemyr, Eleito deputado Federal pelo -PMN-MA com mais de 47 Mil votos, recebeu 95% de votos de aprovação dos Membros do Concelho Politico da Assembleia de Deus no Maranhão. Posicionou-se a favor da PEC da Segunda Instância (Projeto de Emenda Constitucional), que visa fixar a prisão imediata de um condenado após ser julgado em Segunda Instância.
Seguindo a visão Cristã e da própria convenção que é contraria a qualquer tipo de retrocesso no combate a corrupção que atualmente está em alta no país.

"NÃO PODEMOS RETROCEDER/ " disse o Pastor "Respeito a decisão do STF que julgou ser inconstitucional a prisão, após condenação em segunda instância. No entanto, infelizmente vejo o Brasil retroceder ao combate à corrupção." Disse em sua pagina no Facebook.


A Frente Parlamentar Evangélica – FPE e o Conselho Diretivo Nacional da Associação Nacional de Juristas Evangélicos – ANAJURE, Também se posicionaram em defesa da PEC da Segunda Instância como mostra uma nota publicada no site da ANAJURE.

Segundo a nota a FPE e ANAJURE diz: "...com a devida vênia, que o posicionamento da Corte possui equívocos, representando retrocesso para o combate à corrupção e à impunidade em nosso país. Nessa linha, ressaltamos que a prisão após condenação em segunda instância não implica afronta a preceitos constitucionais[1]..."  Concluindo que "Diante desse contexto, solicitamos aos parlamentares brasileiros a execução de medidas tendentes a trazer nova regulamentação sobre a prisão em segunda instância, priorizando normatização que privilegie o combate da corrupção e da impunidade." publicou a nota que pode ser lida na integra no site da ANAJURE.

Em suma tudo que tem ocorrido no STF, mostra o que parece ser uma tentativa de libertar um líder politico preso por corrupção, em detrimento de um retrocesso no processo penal e combate a corrupção num país que carregava o peso da corrupção.

Por: Adailton Junior