Durante a sessão da Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência desta segunda-feira (20), a ministra Damares Alves se mostrou contrária à descriminalização do aborto para casos de fetos com microcefalia.

A ministra da Mulher, da Família e Direitos Humanos colocou sua posição pessoal sobre o tema e não se importou com as críticas a respeito da sua crença religiosa.
Damares entende que se a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 5581) movida pela Associação Nacional de Defensores Públicos for aprovada no Supremo Tribunal Federal (STF) permitindo o aborto nos casos de mulheres infectadas com o zika vírus, outras síndromes também poderão ser incluídas na lei.

“Em breve também haverá pressão para que façamos [o aborto] nos casos de síndrome de Down e outras deficiências”, disse ela e ainda prometeu se colocar contra o aborto durante a reunião da Organização das Nações Unidas (ONU) em junho.
Um padre estava presente na sessão e ela se lembrou das vigílias que o religioso já fez intercedendo contra o aborto e ela declarou que na próxima vigília haverá milhares de pessoas no mesmo propósito.

Um trecho da fala da ministra foi postado em seu Twitter: