Se a reforma da Previdência proposta pelo governo for aprovada, os deputados federais, senadores, deputados estaduais e vereadores não terão mais direito a aposentadoria especial. Atualmente as regras são bem generosas e os políticos podem se aposentar com até R$ 33.763,00.
Se o deputado passar 35 anos no Congresso contribuindo para o PSSC, quando se aposentar vai receber mensalmente a integralidade do salário. E com apenas seis anos de mandato contribuindo com o PSSC, eles já conseguem se aposentar com valores superiores ao teto do INSS.

Porém, se a reforma que tramita no Congresso Nacional for aprovada, os políticos da próxima legislatura passarão a seguir as mesmas regras dos trabalhadores do setor privado, cujo teto de aposentadoria do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), é de R$ 5.839,45. O político que completar 35 anos de Congresso não conseguirá receber mais do que o valor acima.
Além disso, caso a reforma seja aprovada, a alíquota de contribuição dos parlamentares aumentaria para 16,79%, equivalente a uma contribuição mensal de R$ 5.668,80. Mas para isso acontecer o Congresso Nacional precisa votar o projeto e aprova-lo sem alterações.
Na lista de 198 deputados que optaram pelo regime privilegiado, obtida pela Gazeta do Povo através da Lei de Acesso a Informação (LAI),  49 fazem parte da Frente Parlamentar Evangélica, segundo dados obtidos no site oficial da Câmara dos Deputados. A lista inclui deputados favoráveis à reforma da Previdência, mas que não foram capazes de abrir mão deste benefício, demonstrando que defendem o regime comum dos brasileiros apenas para os outros, mas não para si.

Por outro lado, os que são contra a reforma demonstram claramente o interesse de manter o privilégio, principalmente por que costumam mentir ao afirmar que a proposta irá prejudicar os mais pobres, quando na verdade aderiram a um regime no qual seus privilégios são sustentados por essa camada da sociedade.

Veja a lista de políticos da Frente Parlamentar Evangélica que aderiram ao regime privilegiado:

Aguinaldo Ribeiro (PP – PB)
Alan Rick (DEM – AC)
Alex Santana (PDT – BA)
Alexandre Serfiotis (PSD – RJ)
Altineu Côrtes (PR – RJ)
Andre Ferreira (PSC – PE)
Aureo Ribeiro (Solidariedade – RJ)
Benedita Da Silva (PT – RJ)
Carlos Gomes (PRB – RS)
Celina Leão (PP – DF)
Celso Russomanno (PRB – SP)
Cezinha De Madureira (PSD – SP)
Cleber Verde (PRB – MA)
Daniela Do Waguinho (MDB – RJ)
Darcísio Perondi (MDB – RS)
Dulce Miranda (MDB – TO)
Edilázio Júnior (PSD – MA)
Eduardo Barbosa (PSDB – MG)
Evair Vieira De Melo (PP – ES)
Fábio Trad (PSD – MS)
Fernando Rodolfo (PR – PE)
Geovania De Sá (PSDB – SC)
Gutemberg Reis (MDB – RJ)
Heitor Freire (PSL – CE)
Hercílio Coelho Diniz (MDB – MG)
Hildo Rocha (MDB – MA)
Jefferson Campos (PSB – SP)
Jhc (PSB – AL)
Jhonatan De Jesus (PRB – RR)
Lauriete (PR – ES)
Leda Sadala (Avante – AP)
Lincoln Portela (PR – MG)
Luis Miranda (DEM – DF)
Márcio Biolchi (MDB – RS)
Márcio Marinho (PRB – BA)
Marco Bertaiolli (PSD – SP)
Otto Alencar Filho (PSB – BA)
Pastor Gildenemyr (PMN – MA)
Paulo Freire (PR – SP)
Rejane Dias (PT – PI)
Roberto De Lucena (Podemos – SP)
Rodrigo Agostinho (PSB – SP)
Rosangela Gomes (PRB – RJ)
Ruy Carneiro (PSDB – PB)
Silas Câmara (PRB – AM)
Soraya Santos (PR – RJ)
Vinicius Carvalho (PRB – SP)
Vinícius Farah (MDB – RJ)
Wolney Queiroz (PDT – PE)

Informações GOSPEL PRIME