O presidente da Rússia Vladimir Putin está enviando tropas e equipamentos militares para a fronteira com a Coréia do Norte, temendo que EUA ataquem o país governado por Kim Jong-un.
Observadores internacionais temem que a Coréia do Norte possa realizar outro teste nuclear neste fim de semana no aniversário da fundação do regime de Kim Jong Un, mas os Estados Unidos disseram claramente que a postura nuclear na península coreana não será mais tolerada.
Em março, Sim Tack, um especialista da Coréia do Norte especulou como as forças chinesas poderiam parar o programa nuclear da Coréia do Norte sem disparar um tiro.
Moscou trabalha com a possibilidade que haja um enorme êxodo de refugiados norte-coreanos se uma ação militar norte-americana for iniciada contra Pyongyang.

 ............................................................
............................................................. 

“O movimento de equipamento militar por diferentes meios de transporte está sendo observado em toda a região Primorsky desde a semana passada”, disse à imprensa Stanislva Sinitsyn, um veterano do exército russo.
Vídeos divulgados na manhã desta quinta-feira (20) mostram tanques russos sendo levados por trem até a região do porto naval de Vladivostok, onde a Rússia já tem grande poderio militar instalado.
Comentarista militar russo Konstantin Asmolov afirmou que “Se os EUA atacarem com mísseis as instalações nucleares da Coréia do Norte, uma nuvem radioativa chegará a Vladivostok dentro de duas horas”.

Por outro lado, a China, considerada até recentemente o maior aliado da Coréia do Norte, surpreendeu ao apoiar a declaração formulada pelos Estados Unidos, a qual exige que a Coréia do Norte “não realize mais testes nucleares” e suspenda os lançamentos de mísseis. O clima tem esquentado e rumores de guerra não param!
Com informações Independent e Daily Mail