O escolhido foi o rabino Baruch Kahane, um erudito nas leis relacionadas ao serviço no templo.
O rabino Kahane tem desempenhado um papel importante em todas as reconstituições dos serviços do Templo já realizadas até hoje. Promovidas pelo Instituto do Templo, as cerimônias servem como uma espécie de “ensaio” para que tudo esteja em ordem após o novo prédio ser erguido.
A escolha do nome de Kahane ficou a cargo do novo Sinédrio. Seu porta-voz, o rabino Hillel Weiss, explicou a necessidade de se escolher um sumo-sacerdote, mesmo que não haja um templo. “Para tomar esta decisão relevante não precisamos de um acontecimento milagroso, como o aparecimento repentino de um templo descendo do céu”, declarou ao Breaking Israel News.
Segundo ele, “o único obstáculo que impede o culto no Templo, hoje, é a questão política [com os muçulmanos]. Se isso mudar, será necessário iniciar imediatamente os serviços religiosos no Templo”. Acrescentou ainda que “é preciso ter alguém preparado para desempenhar a função de sumo-sacerdote, especialmente agora que já temos pessoas capacitadas para isso”, acrescentou Weiss.
As preparações para o Terceiro Templo
Os 20 estudiosos do Talmude, que trabalham para o Instituto em tempo integral, elaboraram em detalhes todos os procedimentos seguindo as leis elaboradas cerca de 3.000 anos atrás. O Instituto afirma que já gastou mais de 30 milhões de dólares até o momento.

Para os judeus que estudam as profecias sobre o final dos tempos, a restauração dos sacrifícios rituais em Jerusalém é o início do processo de aparecimento do Messias esperado por eles.  Para a maioria dos cristãos que estudam escatologia, o surgimento do Anticristo depende da restauração do templo e dos sacrifícios, segundo a interpretação de Daniel 9:27.

Fonte Gospel Prime