Quando Jesus falou a respeito dos sinais do céu, temos que nos apreender que primeiramente Ele falava a quatro discípulos, que são: Pedro, Tiago, João e André (Mc 13.3). Portanto, judeus, pessoas que estavam acostumadas desde sua mais recuada história, a verem sinais e pedirem sinais. É de origem Grega*, que quer dizer fazer distinção de outro objeto ou tempo. Como Jesus fazia uma exposição escatológica, e falou sobre “terremotos, epidemias, e fome em vários lugares, e faz um resumo dos acontecimentos terrenos e serão coisas espantosas” (grifo do autor). Portanto, Jesus falava dos sinais que acontecerão na terra e no céu. Quando falamos sobre o futuro a nossa mente logo fica aguçada, apreensivas e todo ser humano do mais novo ao mais velho se interessam pelo futuro. Programas televisivos falam sobre futuro, livros e mais livros tratam do assunto. Mas estamos diante da maior Autoridade, porque conhece tanto o passado, presente e futuro. Temos que destacar o caráter eterno e imutável daquEle que pronuncia essas verdades, ou seja, Jesus, Ele tem autoridade para falar dos tempos, pois Ele os controla e os conhece. 

                  Antes de tratar diretamente do texto em questão, temos que situar este episódio, pois muitos confundem a vinda com a volta de Jesus. Acontecerá o grande e esperado arrebatamento da igreja, que para este não há tantos sinais, pois ele fala para igreja está vigilante, pois não sabemos o dia nem a hora, e quando falamos em hora, não falamos em hora de sessenta minutos, mais sim na hora que o Pai decidir que será o arrebatamento, portanto, para o arrebatamento não há sinais no céu que sinalize este episódio, devemos estar apercebidos, alerta e vigilantes servindo a Jesus (Mt 24.42). Lucas 21.11 diz: “e haverá sinais do céu”, agora se trata dos sinais que antecedem a volta Jesus, já com a igreja. E estes sinais sucederam no período tribulacional, que está para vir sobre todo o mundo, como a Bíblia enfatiza dias maus, que a Bíblia fala em Mateus 24.21 “Porque, então, haverá grande aflição, como nunca houve no mundo até agora, nem tampouco haverá jamais”. Nós somos adeptos da visão pré-tribulacionista (Ap. 3.10), ou seja, a igreja não passará pela grande tribulação; somos também da visão pré-milenista, em outras palavras, o milênio, o governo de Cristo ainda não foi implantando na terra, o grande episódio que antecederá esses acontecimentos em questão, será o arrebatamento (Its. 4.17) que será o pontapé inicial que desencadeará os demais acontecimentos escatológicos. E essa visão encontra bastante embasamento bíblico e hermenêutico, segundo Norman Geisler essa linha de interpretação canônica, ou seja, voltada para o texto e não para os interesses do leitor, é de fato a hermenêutica mais equilibrada. Devemos entender a linguagem do texto não como uma linguagem simbólica, pois ali se trata de um acontecimento literal, pois a Bíblia tem o seu caráter de cumprimento literal. Portanto os discípulos pediram sinais literais que alertassem quando dos acontecimentos. 

Veja o que disse o Dr. Wayne Grudem, em sua obra Teologia Sistemática Atual e Exaustiva:

É melhor entende-las como sinais literais que ocorrerão logo antes da volta de Cristo e, como tais, estarão em categoria diferente da dos outros sinais, já que parece certo que não tenham ocorrido ainda. Entretanto, poderiam ocorrer com muita rapidez, em poucos minutos ou no máximo em uma ou duas horas sendo imediatamente seguidas pela volta de Cristo. Esses sinais em especial não são tipo que nos levaria a negar que Cristo pode voltar a qualquer momento (GRUDEM 1999, P. 941).

                 Como bem ressaltou o Pr. Elinaldo Renovato, não se trata de sinais no céu, mas do céu. Geridos pelo céu, ou seja, pelo próprio Deus. O homem não tem capacidade para criar sinais e nem tampouco impedi-los. Nós estamos acostumados a sinais como: o eclipse, cometas e etc. Mas sinais no céu ainda não vêm como a Bíblia diz, “que o sol escurecerá a lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do firmamento, e os poderes dos céus serão abalados” (Mt 24.29). 
Conclui-se que são eventos futurísticos que não estamos acostumados ou ainda não vimos e quem aguarda o arrebatamento também não os verão, pois a Bíblia no garante que não estaremos aqui. As pessoas acreditam que na verdade esses sinais serão ou para eles talvez seja os OVN’s, objetos não identificados, ou ET’s, isso não passa de uma crendice popular e diabólica, pois não encontramos base bíblica para tal. A Bíblia fala de anjos, arcanjo, querubins e serafins que são classes de anjos, e também menciona anjos caídos, que são: o diabo ou satanás e os demônios. Que esses últimos fazem de tudo para que a Palavra de Deus seja desacreditada. Mas, não menciona nada a respeito de outros seres não identificados ou seres mais inteligentes, além destes que mencionei. Portanto estejamos alerta para vinda de Jesus, para não necessitarmos observar os sinais. Para aqueles que aguardam a vinda de Jesus... Estejam alertas este é o verdadeiro sinal do caráter de quem ama e aguarda a vinda de Jesus. Estejamos com nosso espírito, alma e corpo irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. (1Ts 5.23).




Walk Oliveira, Pastor auxiliar em Coroatá; Formado em Teologia.

*Original seria (Vem da Palavra grega) mais nosso sistema não reconheceu o Texto em Grego! [full_width]