O Círculo de Oração, uma das maiores marcas das Assembleias de Deus no Brasil fundado em 6 de março de 1942, quando a irmã Albertina Bezerra Barreto, membro da Assembleia de Deus em Recife (PE), convidou algumas crentes para a ajudarem em oração na congregação do bairro da Casa Amarela, em favor de sua filha Zuleide (Ledinha), que se encontrava enferma.
A menina não andava, nem falava e os médicos diziam que ela iria viver apenas oito anos. Sete mulheres se prontificaram: Cecita Colaço, Malphara Bezerra, Maria do Carmo, Antonia Viegas, Ana de Souza, Otávia Pessoa e Maria
José. Durante a campanha de oração, houve uma profecia sobre a enfermidade de Zuleide: “Essa enfermidade não é para a morte, mas para glória do meu nome. Fui eu quem gerou essa criança para que, por meio dela, fosse aberto esse trabalho”. Reuniões de oração sob a direção de mulheres nas Assembleias de Deus ocorrem provavelmente desde o dia 2 de junho de 1911 em Belém do Pará, quando as crentes batistas Celina Albuquerque e Maria de Nazaré, convictas da promessa bíblica do batismo no Espírito Santo pregada pelos pioneiros Daniel Berg e Gunnar Vingren, decidiram se reunir na Rua Siqueira Mendes 67, residência de Celina, e buscar o revestimento de poder para suas próprias vidas.
Esse movimento chegou em Coroatá e se espalhou em todas as congregações onde existe um templo da Assembleia de Deus. Nesta quarta a Assembleia de Deus no Bairro Maçaranduba comemorou os 31 anos de existência do Circulo de Oração local com um culto em ação de graças. Participou vocais do templo Central, Novo Areal e da Área IV, na oportunidade o Pastor Presidente da Assembleia de Deus em Coroatá a convite do Circulo de Oração entregou a Palavra no texto de Mateus 15. O Trabalho do Circulo de Oração atualmente está sob Direção da Irmã Maçalina. O Pastor da Área Walker Lima foi um dos apoiadores desse trabalho. O templo lotou e o culto de Ação de Graças, foi uma Benção!
"O Círculo de Oração continua sendo uma grande bênção para as Assembleias de Deus no Brasil e, se Deus permitir, continuará sendo, até o Arrebatamento da Igreja." (Pastor José Wellington Costa Junior)